Estudos sobre temas antigos, poemas de Henrique Marques-Samyn

Estudos sobre temas antigos, poemas de Henrique Marques-Samyn

Estudos sobre temas antigos, poemas de Henrique Marques-Samyn

«Estudos sobre temas antigos», de Henrique Marques-Samyn

Com imensa alegria apanho na caixa dos correios o último livro do amigo Henrique Marques-Samyn, alguém que na distância transoceânica partilha as grandes certezas que só a poesia revela, certezas tanto mais grandes quanto mais prenhadas dos paradoxos misteriosos da vida. Leremos seu livro com vagar, no firme desejo apreender aquilo que o Henrique generosamente dispara ao alvo do que mais importa. Nossa gratidão vaia por diante, agora e sempre.

«O poeta Henrique Marques-Samyn, ao celebrar seu passado sob a espécie de confissão, e ao exprimir o orgulho de compartilhar as glórias de sua comunidade, constrói uma espécie de culto orgiástico, quando não meramente apologético, sempre a mirar a possível imago mundi. Para tanto, deverá cultivar a ortometria, maneira elegante de transmitir, mediante as palavras, a riqueza interior. Como se sabe, a poesia cuida especialmente do geral, enquanto a crônica, que lida com o tempo, concentra-se no particular, partícula da História. O poeta se entrega à fulguração da palavra e também à ritualização do espetáculo sobrenatural. Henrique Marques-Samyn ousa apresentar ao leitor contemporâneo, vítima da cultura massificada pela indústria e pelos apelos da urgência, uma coletânea de Estudos sobre temas antigos. E o faz conscientemente, sob o competente registro do poético. Prefácio de Fábio Lucas e apresentação de Ivan Junqueira. »

Share

by

Alfredo Ferreiro nasceu na Corunha em 1969. Estudou Filologia Hispânica e iniciou-se na Teoria da literatura. É membro da Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega e da Associaçom Galega da Língua. Tem participado desde 90 em inúmeros recitais de poesia e colaborado em revistas galegas e portuguesas, entre elas Anto e Saudade, sob a direção de António José Queiroz. Na atualidade é membro do Grupo Surrealista Galego. Como crítico tem colaborado em publicações periódicas impressas como A Nosa Terra, @narquista (revista dos ateneus libertários galegos), Protexta (suplemento literário de Tempos Novos), Dorna e Grial, para além de em diversos projetos digitais. De 2008 a 2014 dirigiu, junto com Táti Mancebo, a plataforma de blogues Blogaliza. Desde 2006 é asíduo dos meios eletrónicos, em que se dedica à divulgação da literatura e do pensamento crítico. Atualmente colabora no jornais Praza Pública e Sermos Galiza. A inícios de 2014 fundou, junto com Táti Mancebo e Ramiro Torres, a revista digital de artes e letras Palavra comum, dirigida ao âmbito lusófono. Desde outubro de 2015 é coodenador do Certame Manuel Murguía de Narracións Breves de Arteixo.

Deixar uma resposta