Quando os ases da fusão atuarom juntos…

Os concertos de Juan Perro (os amigos Santiago Auserón e Joan Vinyals) deste ano forom tão intensos como é já costume. O último deles foi nas adegas do vinho Martín Códax em Cambados, e ainda tivemos a sorte de vê-lo acompanhados de Sés (María Xosé Silvar junto do guitarrista Tito Calviño), todos os quatro felizes companheiros a desfrutar de um ambiente mágico com o Atlântico de tela de fundo e intervindo nos temas os uns dos outros para delícia dos espectadores que erguiam seu graal repleto do sangue loiro das Rias Baixas. De aquela soirée deixo os dous temas que tivemos a honra de adaptar ao galego a Táti Mancebo e mais eu na altura do certame de canção popular A Coruña Son, evento em que felizmente Santiago e Maria se conhecêrom.

Aliás, esta foi a reportagem da atuação que neste mesmo ano tivo lugar na Sala Mardigras da Corunha, em que durante duas noites escoitamos peças conhecidas e várias inéditas.

Share

by

Alfredo Ferreiro nasceu na Corunha em 1969. Estudou Filologia Hispânica e iniciou-se na Teoria da literatura. É membro da Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega e da Associaçom Galega da Língua. Tem participado desde 90 em inúmeros recitais de poesia e colaborado em revistas galegas e portuguesas, entre elas Anto e Saudade, sob a direção de António José Queiroz. Na atualidade é membro do Grupo Surrealista Galego. Como crítico tem colaborado em publicações periódicas impressas como A Nosa Terra, @narquista (revista dos ateneus libertários galegos), Protexta (suplemento literário de Tempos Novos), Dorna e Grial, para além de em diversos projetos digitais. De 2008 a 2014 dirigiu, junto com Táti Mancebo, a plataforma de blogues Blogaliza. Desde 2006 é asíduo dos meios eletrónicos, em que se dedica à divulgação da literatura e do pensamento crítico. Atualmente colabora no jornais Praza Pública e Sermos Galiza. A inícios de 2014 fundou, junto com Táti Mancebo e Ramiro Torres, a revista digital de artes e letras Palavra comum, dirigida ao âmbito lusófono. Desde outubro de 2015 é coodenador do Certame Manuel Murguía de Narracións Breves de Arteixo.

Deixar uma resposta