2018, dominado

Começou o ano e trouxe um presente para este blogue iniciado em 2016, o vaidoso domínio alfredoferreiro.com. E lembrando textos deixados à deriva na rede, ofereço hoje um poema que tinha esquecido num velho blogue coletivo intitulado A fábriga da preguiça:

Canção para o início do ano

Para tod@s vós

Empregamos as artes do amor
na criação desta casa,
bem longe de aqui.

Dentro, fluem artérias de outras vidas,
sem memória de passos vencidos
e na necessidade de abrir-nos pelo meio:
tão alto é o preço da viagem.

Mas permanecemos ainda no desconhecido.
É preciso chegar a luz até o fim dos dedos
para mudar a nossa estação em morada,
e começarmos, neste espelho, a acordar.

3.1.2006

Share

Deixar uma resposta