Eduardo Estevez em Poetas DinVersos por Alfredo Ferreiro 1000

Poetas Di(N)versos

Eduardo Estevez em Poetas DinVersos por Alfredo Ferreiro 1000O ciclo de poesia nacional e internacional Poetas Di(N)versos inicia sua pausa estival. Na tarde de 13 de junho contamos com a presença do nosso amigo Eduardo Estévez e tivemos a oportunidade de conhecer a poeta argentina Mercedes Roffé, a quem pudemos retratar junto com a apresentadora e diretora do ciclo Yolanda Castaño. Do poeta e da poetisa oferecemos os poemas que figuram no díptico do evento:

unha balea varada na praia
estarrece como a ruína dun imperio

é unha postal imposíbel
no centro da paisaxe

treme o aire que paira
inmóbil ao seu redor

e non ten
esa tensión do horizonte
senón acaso a conciencia de ser
ela mesma todo un final

a balea é un deus caído
unha espera deitada

se falas con ela
parecerá que escoita a túa dor
e devolve preamar

uns nenos achéganse
pés na area fría
observan con distancia

a balea non pode moverse
pero non é o seu cheiro
o que estarrece

acaso sexa
a inmensidade da metáfora

EDUARDO ESTÉVEZ

Read More

Share
Premios Xerais 2016 11 b 1000

Premios Xerais 2016: festeiros, demorados e currantes

Son varios os anos que levo emitindo, gravando e facendo entrevistas aos protagonistas dos Premios Xerais. Cada ano, sen falta, a profesionalidade e bo gosto (tanto estético canto culinario) do equipo de Edicións Xerais consegue que a visita anual a esta illa literaturizada por primeira vez hai 800 anos se converta nun episodio da vida que moitos gardaremos para sempre no cofre máis selecto da memoria. Se ben é certo que as auténticas protagonistas son as obras premiadas, e que o foco debe dirixirse ás autoras e autores que conseguiron chegar ao bon porto das sensibilidades dos variados e espelidos xurados, existen outros axentes que fan posible que a Illa das Letras estoure en tan gostoso abano de sensacións.

Editora Edicións Xerais de GaliciaDeseguida comprobaredes que non son fotógrafo. Mais como usuario habituado a certos trebellos, se algún deles acaba na miña man non podo evitar usalo e deseguida acabo imaxinando algún tipo de narración coa que pretendo ofrecer un sentido ao conxunto. Desta volta, á par dalgunhas das varias centenas de personalidades do sistema literario que acoden para ser testemuñas de honra na publicación e entrega dos premios, aquí poderedes ver outras persoas que normalmente non saen nos vídeos nin nas fotos oficiais porque o seu cometido é colaborar en labores de pouca ou ningunha dimensión pública. Entre elas poderedes ver: operarias de cámara, twitteiros, directoras do evento, polbeiras e polbeiros, capitáns de embarcación, gardas, secretarias de xurados, operarios das instalacións…

Un aviso para a Socioloxía literaria. Acabei descubrindo, como un pseudoDarwin asombrado na súa propia terra, que existe un tipo especial de convidados a este evento: os demorados. Son estes convidados que veredes ao final sentados nun valado ou contra unha parede cando o sol se pon e o último barco semella retardar o retorno ao continente, eses que sentan a parolar, a abrazarse ou a apañar profundamente o ar da ría nos últimos instantes como querendo multiplicar os segundos, como desexando atopar a eternidade en cada inspiración, fixando para sempre no máis íntimo as mellores imaxes dunha tarde memorábel caracterizada pola fraternidade, o amor ao país, ás letras e á arte.

Coas luces da Ponte de Rande como pano de fondo, os convidados retornan poñendo rumbo ao porto de Cobres. Nós, os currantes, noutro sentido mais sen dúbida cordialmente na mesma dirección tomamos, xa de noite, rumbo a Cesantes.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Share

Na praia da Magdalena (Cabanas)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Desde a anterior visita, em companhia de Xavier Alcalá, Elena Baillie e Manel Cráneo para lembrarmos o espaço real em que se desenvolve o romance A nosa cinza com motivo da sua próxima versão em BD, esta praia passou a ser um lugar literário referencial para mim. Nesta ocasião voltamos a ela depois de ter em Pontedeume com o entranhável Manuel Molares, protagonista da trilogia Evangélica Memória do Alcalá, para apanharmos dados para uma reportagem da revista Grial.

Share
Na Livraria Carbalhido Natal 2015

Natal na livraria Carballido

Neste passado Natal tive a honra de participar no recital de poesia da livraria Carballido. Antigo vizinho meu e novo cúmplice na escrita literária, Jesus Carballido tinha me convidado para muito mais do que um lindo recital em companhia de amigos e amantes do livro. A seguir ao recital que partilhamos Xosé Abeal, Pedro Casteleiro, Antón Cortizas e quem isto escreve, pudemos provar algumas variedades de vinho de Betanços elaborado com uma uva da região para mim desconhecida, a «branca legítima», o que foi sem dúvida uma experiência memorável. Já nunca será para mim o vinho de Betanços esse líquido acedo que serve para tingir camisolas na Festa do Caneiros, pois agora fiquei a saber que uma extraordinária beberagem amarela como o sol e fresca como uma fervença nasce nos férteis campos da região. Algo para não esquecer, e mesmo com certeza para comprar o dia em que a lembrança nos conduzir às Bodegas Rilo de Santa Marta de Babio.

Share

As aventuras de Alice

livro aventuras de alicia no pais das marabillas de xavier queipo e fausto isorna el patito editorialAs Aventuras de Alicia no País das Marabillas, com tradução de Xavier Queipo para o galego e ilustrações de Fausto Isorna (El Patito Editorial, 2015) foi apresentado ontem na livraria Couceiro de Santiago de Compostela. O evento contou também com a participação de Valentín García, Secretário Geral da Política Linguística da Junta da Galiza.

O tradutor advertiu que tanto ou mais do que uma tradução é uma versão, pois casos como os poemas do livro de Lewis Carroll não permitem, para serem percebidos, uma tradução direta a causa de que remetem para atividades infantis do século XIX no contexto anglosaxão, fato que o obrigou a recriar os textos com a máxima liberdade para atender em primeiro à sua funcionalidade na obra original. Lembrou-me isto, com um sorriso secreto, o mestre Herberto Helder quando publicava não traduções mas “poemas mudados para português”.

Ao evento acudiu numeroso público e não faltárom amigos de Xavier Queipo muito conhecidos do mundo literário galego como Xavier Alcalá, Xabier P. Docampo, Quico Cadaval e Anxos Sumai. Alguns deles é que pudem capturar para o meu bestiário cultural.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Share