Gallaecia in armis promove a esgrima antiga

No passado mês de outubro acudimos à apresentação do curso de esgrima histórica que aqui referenciamos, e que tanto nos agradou por constituir uma proposta que junta desporto, História, investigação da tradição, docência e fraternidade, todos valores muito necessários e habitualmente ausentes no mercado do ócio.

«A Gallaecia in Armis nasce no 2014 da fussom de dous coletivos composteláns adicados ao estudo das HEMA: a Sala Compostelá de Esgrima Antiga (SCEA) e o Grupo de Jogo do Pau Compostela.

SCEA: Sala Compostelá de Esgrima Antiga

A SCEA cria-se em 2008, partindo dum grupo de gente que está a começar a descuberta das HEMA na nossa cidade. A sé original estava no Centro Social o Pichel, e as primeiras aulas forom literalmente com cabos de vasoura.

Antes do 2008, um par de amigos (Tomás Ahola e Efrén Faraldo) descubriram na internete a existência de manuais históricos de luita com espada. Com a ajuda dos companheiros da AGEA da Corunha (associaçom que logo se convertiria no germolo da federaçom galega de HEMA) começam o estudo dos primeiros tratados, e as primeiras aulas prácticas de espada roupeira e espada longa […]».

Este foi o vídeo que logramos editar a partir da apresentação do curso 2014-2015 de Gallaecia in armis:

{Palavra comum}

Share

by

Alfredo Ferreiro nasceu na Corunha em 1969. Estudou Filologia Hispânica e iniciou-se na Teoria da literatura. É membro da Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega e da Associaçom Galega da Língua. Tem participado desde 90 em inúmeros recitais de poesia e colaborado em revistas galegas e portuguesas, entre elas Anto e Saudade, sob a direção de António José Queiroz. Na atualidade é membro do Grupo Surrealista Galego. Como crítico tem colaborado em publicações periódicas impressas como A Nosa Terra, @narquista (revista dos ateneus libertários galegos), Protexta (suplemento literário de Tempos Novos), Dorna e Grial, para além de em diversos projetos digitais. De 2008 a 2014 dirigiu, junto com Táti Mancebo, a plataforma de blogues Blogaliza. Desde 2006 é asíduo dos meios eletrónicos, em que se dedica à divulgação da literatura e do pensamento crítico. Atualmente colabora no jornais Praza Pública e Sermos Galiza. A inícios de 2014 fundou, junto com Táti Mancebo e Ramiro Torres, a revista digital de artes e letras Palavra comum, dirigida ao âmbito lusófono. Desde outubro de 2015 é coodenador do Certame Manuel Murguía de Narracións Breves de Arteixo.

Leave a Reply