• contacto@alfredoferreiro.com
  • Galiza, Espanha, Europa

Automático 29/03/2014

Começar a roer sem termo como em uma deflagração óssea que só incumbe aos planetas irados que nos governam internamente, internamente marcianos ou venéreos, docemente mercuriais ou arrebatadamente plutónicos, todos aplaudindo a dança que o sol e a lua dedicam ao mundo enquanto parem satélites entre a sucata estelar que defeca o progresso. Cataclismos são os prémios que merecemos desde […]

Share