Poemas na Eufeme, magazine de poesia

«No dia 13 de Janeiro de 2020 fica disponível o magazine de poesia Eufeme n.º 14 (Jan/Mar). Esta edição conta com a participação dos poetas: Alfredo Ferreiro Salgueiro; Catarina da Costa; Eduardo Quina; Fady Joudah (trad. Sérgio Ninguém); José Manuel Teixeira da Silva; Lena Khalaf Tuffaha (trad. Sérgio Ninguém); Maria Quintans; Silva Trstenjak (trad. Sérgio Ninguém); Vítor Pais; Yvette K. Centeno (Poetas&Poetas) e Rui Tinoco (Khroniká).

Com o preço habitual de 7€. Os pedidos podem ser feitos através de: Eufeme: eufeme.magazine@gmail.com; Livraria Poetria (Porto); Livraria Flâneur (Porto); Livraria Snob/Cossoul (Lisboa)».

Nesta revista publiquei poemas inspirados na exposição coletiva Exit, dirigida em 2019 por Gosia Trebacz e protagonizada por Ana Alonso, Bego Tojo, Begoña Pastoriza, José Fonticoba, Lola Saavedra, Luisa Valdés, Malena Carballo e Rosa Catoira:

Obra de Begoña Pastoriza
I
Ocultamos o espírito
com um corpo de papelão.
Às vezes, o amor rasga
o fato de trabalho
e a luz que nos conserva eternos
repara as costuras, os gestos
com que nos cremos sublimes
não sendo mais do que marionetas
tísicas, freneticamente instituídas,
talvez humanas, até.
Então é que o sangue fala,
e entre os seus coágulos
a verdade mana
empoladamente secular.
Nada mata melhor,
agora sabemos,
do que essa palavra
impronunciável.
Obra de Bego Tojo

II

Auscultamos o céu
permanentemente
como se tivéssemos perdido as moedas
necessárias para viver.
Mas no céu tudo muda de lugar,
tudo se transforma em nuvem
em vento ou em chuva
e nada do que deitamos lá
nasce para permanecer
no quadro da expectativa estelar.
Chega então uma trovoada
e uma saraiva de desejos
cai na nossa mão extenuada.
Os olhos saem ao encontro
dos pássaros que
nos acordam de manhã
enquanto uma lágrima brota
do nosso coração emplumado.

Obra de Luisa Valdés

III

No fundo do rio
há um pássaro adormecido.
Seus cânticos remontam a corrente
e seu ninho irisado
é abalado num remanso escondido.
Mas o dia da eclosão
dos ovos surgem desejos
e num torvelinho de paixão
as águas botam a voar
e uma chuva ascende ao céu.
Isto acontece em primavera,
cada quatro mil anos,
sempre que uma virgem
entrar nas águas a assobiar
a música do amor.

Obra de Lola Saavedra

IV

A nossa olhada sustém-se em ruínas impossíveis,
fogos falsos e erradas temperaturas.
O olho é um instrumento do perverso
cérebro que nos coroa,
o nariz irriga-nos tristeza
e os lábios nos provêem da preguiça necessária
para morrer.
Nada há tão sujo como o que se pensa
nem tão limpo como o que foi sentido
nas pradarias do coração.

Obra de José Fonticoba

V

A minha alma semelha
um desejo desvanecido
num urinário público.
Com sua face impertérrita
nos mijos velhos sucumbe
e em nada pode pensar
além de em sua má sorte
e nos odores pútridos que nascem
da sua axila espectral.
Minha alma dessangra-se
e canta
o seu triste final.

*

Share

“Medre o mar!”: homenaxe a Bernardino Graña

 

«Medre o mar! é o título dunha homenaxe nacional a Bernardino Graña que se celebrará na Coruña o sábado 1 de setembro, organizada pola Asociación de Escritoras e Escritores en Lingua Galega e o Colectivo ArTeu, coa colaboración da Universidade da Coruña e a Real Academia Galega. O programa está composto polas seguintes actividades:

MIRANDO O MAR. No Parque da Torre de Hércules, zona dos menhires.
11:00 h. Os artistas crean arredor da obra do poeta, sendo expostas pola tarde no patio da Reitoría (Maestranza) da Universidade. Con: Carlos Botana, Carmen Cierto, Alfonso Costa, Suso Cubeiro, Inma Doval, Rubén Mariño, Martazul, Miguel Melero, Augusto Metztli, Mercedes Molares, Begoña Pastoriza, Ánxela Pérez Meilán, Isabel Pintado, Soledad Pite, Tino Poza, Mely Secas, Nolo Suárez e Begoña Tojo.
12:00 h. Contacontos e lecturas dramatizadas, a cargo de Ana Hermida e Zezilia Meléndrez.
12:45 h. Outras voces, recital. Con Natalia Concheiro, Berta Dávila, François Davo, Alfredo Ferreiro, Nolim González, Denís Graña Fernández, Tati Mancebo, Mou de Lugh, Alexandre Nerium, Begoña Paz, Alexandre Ripoll, Dores Tembrás e Ramiro Torres.

PASAR A MAROLA. Na Dársena.
16:45 h. Travesía polo mar da Coruña. Con Anxo Angueira, Xabier P. DoCampo e Luís Dopico. É preciso reservar previamente no correo oficina@aelg.org ou no teléfono 981-133233, de 10:00 a 14:00 h. As prazas son limitadas, e o prezo é de 5 euros.
18:00 h. Marcha gaiteira en louvanza do poeta, con Maghúa, Peixe e amigos e Os Vicentes de Elviña.

MEDRE O MAR!. Paraninfo da Universidade da Coruña, na Maestranza.
18:30 h. Acto poético-musical, con proxeccións audiovisuais. Coa participación de: Xosé María Álvarez Cáccamo, Anxo Angueira, Marica Campo, Marta Dacosta, Lois Diéguez, Miguel Anxo Fernán-Vello, Xosé Luís Méndez Ferrín, Xosé Manuel Millán Otero, Pilar Pallarés, Manuel Rivas, Cesáreo Sánchez Iglesias, Xavier Seoane, Xulio L. Valcárcel, Diana Varela Puñal, A Quenlla, Pablo Coello e Xacobe Meléndrez Fassbender, TingaLaranga Audiovisual, Coro mar das Acentes e Xurxo Souto.» {Vía Axenda Cultural AELG]

Share