Poetas galegos precisam-se em Portugal

DiVersos ~ Poesia e tradução«Na aldeia-globo, com fios e sem fios, sabemos hoje por vezes mais sobre os antípodas que sobre a terra ao pé de porta – e o mesmo se pode passar com a poesia e com as línguas de que a traduzimos. Desta reflexão à vontade de seguir mais de perto a poesia escrita em galego vai um pequeno passo, que adiante tentaremos explicar. E começando (recomeçando) por algum nome, que outro mais indicado que o de Rosalía de Castro? […]».

Assim declara no sumário a revista DiVersos – Poesia e tradução, nº 21, que há pouco tive prazer de receber e que hoje devemos ressaltar no contexto das celebrações em honra de Rosalia de Castro. Em 21 números tem publicado poemas em português e muitos traduzidos do africânder, alemão, castelhano, catalão, chinês, finlandês, francês, gregos antigo e moderno, inglês, italiano, neerlandês, norueguês, ocitano, polaco, russo e sueco, mas apenas tinham adaptado poesia galega de Álvaro Cunqueiro e Gonzalo Navaza. E isso é algo que gostavam de mudar, por isso acompanham tal desejo de um convite explícito aos talentos poéticos da Galiza, segundo explicita um limiar intitulado Línguas próximas, línguas afastadas − Presença do galego na DiVersos: Read More

Share